Ou navegue pelas categorias

Venda mais

Entrevista: Para ganhar dinheiro na rede – O Povo online

Tive o privilégio de, mais uma vez, participar de uma entrevista muito bacana falando sobre o que mais amo fazer: trabalhar com mídias sociais e ajudar pessoas a ter mais resultados na rede. Desta vez, a entrevista foi para o jornal O Povo, de Fortaleza, cidade que estarei no dia 19/01 (próximo sábado), ministrando o curso Estratégias de Vendas no Facebook, à convite do Quartel Digital e Ps!iu.

A matéria “Para ganhar dinheiro na rede“, está disponível para leitura online aqui e aqui. Se você não quiser clicar ali e ali, pode ler a entrevista a seguir:

1 – Como o Facebook pode ser uma estratégia de marketing eficiente para empresas?

Por ser uma rede social com grande adesão, o Facebook já é torna atrativo ao Marketing de empresas da maioria dos segmentos. Tendo a audiência, fica mais fácil usar os recursos de mídia paga, com anúncios, mídia própria, com a produção de conteúdo e, especialmente, mídia orgânica, que é o conteúdo produzido ou disseminado pelos fãs da empresa no Facebook. Desta maneira, o Facebook contempla os três pilares essenciais quando falamos em exposição.

Assim sendo, as empresas podem investir em anúncios e pagar para aparecer ou investir em um bom conteúdo e contar com o engajamento com seus fãs para conseguir visibilidade, por exemplo. O fato é que o Facebook é uma ferramenta muito completa para as empresas, com inúmeras possibilidades de aplicações para o Marketing, o que a diferencia da maioria das redes sociais.

Você pode gostar...

Além disso, usar o Facebook para fazer Marketing é muito democrático, pois é possível gastar milhões em ações ou investir tempo e dedicação, sem necessariamente envolver dinheiro. A partir de todas essas faces: contemplar vários formatos de mídia, grande número de usuários e flexibilidade de orçamento, ele se torna uma grande alternativa para ações de comunicação.

2 – Ao se optar pela estratégia de usar a rede social para potencializar as vendas, uma empresa não corre o risco de atrair a antipatia dos usuários, que podem se sentir “invadidos”?

O que causa o descontentamento é o Spam que muitas empresas fazem nestes canais. Nas páginas de clientes, praticamente todos os dias há empresas que publicam propaganda sem autorização e acabam denunciadas. Essa prática sim gera muitos aborrecimentos e mancha a imagem de qualquer negócio.

Fonte: O Povo
Fonte: O Povo

Nas redes as pessoas escolhem quem querem seguir, sendo os anúncios uma das únicas formas de impactar alguém que não segue sua marca. Já as reclamações dos usuários não se dão porque as empresa estão nas redes sociais. Se dá porque a empresa, em muitos casos, falha em algum ponto do seu ciclo de venda, o que gera descontentamento dos usuários.

3 – Qual o segredo para conquistar a adesão espontânea de usuários de Facebook para a fan page de uma empresa?

Não gosto de falar que há segredos ou fórmulas, mas sim formas. O primeiro ponto que falo em meus cursos é ter um bom produto ou serviço. Não adianta falhar nessa etapa e querer que as pessoas amem ou engajem com sua empresa nas redes sociais. A Zappos, que atua no e-commerce de calçados nos EUA, é um grande exemplo de empresa que atende bem o consumidor, o deixa feliz e isso repercute em seus canais na internet, com centenas de mensagens positivas e recomendações sobre a marca.

Assim sendo, uma das formas de conseguir adesão espontânea é ter um bom produto ou serviço. Depois disso, produzir bom conteúdo, que ajude a criar a imagem da sua marca e que tenha valor para o seu fã é primordial. Usar as mídias sociais apenas para fazer propaganda é o pior caminho que uma empresa pode tomar.

Também é importante dar atenção ao cliente: responder suas dúvidas, suas reclamações e trata-lo como gostaria de ser tratado por outra empresa. Entender que todos somos clientes e tratar os seus com respeito é outra forma de ser bem-sucedido, tanto nas mídias sociais quanto nos negócios.

4 – O Facebook pode ser considerado um novo canal de comercialização e/ou divulgação de marcas?

Se pensarmos na idade da rede social, sim. Ele tem muito valor para os pequenos empresários ou vendedores autônomos. Trago no curso Estratégias de Vendas no Facebook alguns casos e dados mostrando o valor do Facebook para os pequenos varejistas. Com o Facebook, qualquer pessoa pode vender pela rede social com um custo muito acessível usando aplicativos de F-commerce e usar todos os recursos da rede para fazer marketing e conquistar mais clientes. Sem dúvida, ele é uma grande janela para os pequenos, especialmente, que tinham apenas sites como o Mercado Livre ou e-commerces tradicionais para vender online.

5 – Estratégias de e-marketing ainda encontram resistência por parte do empresariado? Em caso positivo, a que se deve essa resistência?

Ainda há resistência ao marketing na internet, por incrível que pareça. Geralmente ela vem de empresários de gerações mais antigas. Por ser – para eles – uma coisa nova, a internet não tem espaço, pois ele ergueu sua empresa, há anos, sem essa mídia. Além disso, o fato dos jovens dominarem, em sua maioria, este mercado, a resistência inevitavelmente aparece. Entretanto, com o passar do tempo isso vem caindo e todas as gerações estão começando a ver os benefícios e vantagens da rede.

6 – É possível pensar em campanhas de marketing hoje ignorando as redes sociais?

Da perspectiva das empresas é possível. Vejo muitas propagandas em revistas dos EUA que não mencionam em nenhum lugar seus canais nas mídias sociais. Tudo depende do objetivo da campanha. A maioria delas visa à criação da marca, colocação no mercado. Desta forma, a comunicação tem um objetivo diferente, não visa divulgar seus canais na internet, mas dar foco ao produto.

Porém, apesar de não haver ligação clara na propaganda da revista, ao entrar no site da empresa é possível ver as mesmas imagens, as mesmas ações em todos os canais da marca, o que cria a ligação entre as mídias, a conexão entre elas. Quando falamos da perspectiva do cliente é mais difícil, pois ao ser impactado pela comunicação e caso haja o interesse em saber mais, é na internet que vamos procurar mais informações sobre o produto ou marca.

Você pode gostar...

Desta forma, inevitavelmente caímos em alguma fan page, blog ou site. O que as grandes empresas fazem e que as pequenas ainda falham é não haver uma ligação entre seus canais, seja site, fan page ou canal no YouTube, tudo fica desconectado. Contudo, cada vez mais as mídias perdem o distanciamento, sendo cada uma integrante de uma grande tela, onde cada mídia conta uma parte da ação. Temos a propaganda mais incisiva na TV, o making of no YouTube, um game no Facebook e reviews em um blog, por exemplo, e a comunicação se completa.

Curtiu?

Se quiser saber mais sobre isso e minha opinião, te convido para ler a matéria “Como atuar nas redes sociais“, uma entrevista para o Diário de Pernambuco.

Você pode gostar...

Você também pode gostar

Você pode gostar...

Artigos Relacionados

Artigos patrocinados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial